terça-feira, 20 de outubro de 2009

(6) O despertar (Parte IV)

terça-feira, 20 de outubro de 2009
Até este momento, Aimée não entedia a gravidade do que Chantal havia lhe contado. Malkavian era apenas mais uma palavra em seu dicionário sem significado algum. Vendo o semblante já triste do homem se afundar num sentimento ainda mais intenso a jovem resolve arriscar e, temendo a resposta que viria, perguntou em um tom de desdém.

- E o que seria isso?

- Malkavians possuem uma toxina em seu sangue que, mais cedo ou mais tarde, entra em ação em seu organismo fazendo que ele tenha algum tipo de perturbação. Responde ele, ainda no mesmo tom bondoso que começara

- Perturbação? O quer dizer com isso?

- Em palavras vulgares, somos loucos.

Aimée explode num ímpeto de raiva. Para ela estava tudo muito claro: Chantal sim é quem era doido. Havia a seqüestrado, lhe dado algum tipo de remédio para que dormisse e feito aquelas cicatrizes em seu pescoço. Então, a jovem levanta do leito, enfurecida e caminha em direção a porta, calculando cada palavra para dizer ao homem.

- Você é que louco Chantal. Primeiro eu acordo nesse buraco escuro...

- Igreja. – A interrompe.

- Igreja? Você mora em uma igreja? Que tipo de “vampiro maluco” mora em uma igreja?

- Na verdade é uma Catedral.

- Isso muda muita coisa... – responde de forma afiada e desafiadora.

Aimée queria sumir, não conseguia admitir quem por alguns minutos tinha acreditado nos devaneios de Chantal. Tudo aquilo era loucura demais para ela. Ser ou deixar de ser algo que não passava de história de monstros para assustar criançinhas já não parecia algo tão discutível.

Enquanto isso Chantal admira a postura da jovem e delicia-se com o momento. É fato que, há tempos, o homem havia superado seus distúrbios, mas em alguns momentos, Chantal deixava seu lado Malkavian aparecer e se divertia em situações nada divertidas para seres normais.

- Tenha calma criança. Conceda-me algum tempo para que prove o que lhe disse.

A jovem sequer olhou para ele. Aimée não queria escutar. Com total indiferença, ignorou a última frase de Chantal e cruzou a porta da sala.

- Para mim basta. Vou embora.

(continua...)

7 comentários:

K∂riиє* disse...

E' vc quem escreve ?
Ja' vim aqui antes e achei muito bom o seu blog,nao entendo muito sobre vampiros ,prefiro as bruxas,mas vc faz o assunto parecer interessante...
Abs

::mônica:: disse...

Sou eu sim! =)
Escrevi em 2003, durante uma 'campanha' de RPG.
Se vc estiver interessada em saber mais o livro que usamos nos jogos é "Vampiro a Máscara" vc pode achar ele no link: http://www.scribd.com/doc/5668318/Vampiro-A-Mascara-3-Edicao

Nele vc vai poder saber mais sobre esse vampiros, como se ornaizam e as caracteristicas específicas de cada clã.
Espero que você goste!

e muito obrigada por voltar! =D
bjo!

Francorebel disse...

Muito bom, adorei o nome das personagens, rs... criatividade rules!... Valeu!

Silvio disse...

Muito 10 Mônica, você além de linda escreve muito bem e deveria continuar...

Excelentes roteiros para RPG!

Beijos.

Blog Ten disse...

O que é isso? web-série? se for tá legal!

Alexandre Melo disse...

oieee eu de volta no seu blog ^^ adoro suas materias bjs

::mônica:: disse...

- Francorebel: Os nomes são franceses. A Estória se passa na França no século XII.

- Silvio: é só o bacground.. logo logo começa a acão de verdade;)Ty!

- Blog Ten: Naverdade é um livro em formato de blog! mas gostei do 'web-série' =D

- Brigada Alexandre! =)

Postar um comentário

Obrigada por deixar seu comentário!
Prometo que assim que tiver um tempinho responderei =D

 
Le Pivione - O blog livro © 2008. Design by Pocket
Creative Commons License
Le Pivione by Mônica M. do Amarante is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License
BlogBlogs.Com.Br