sábado, 24 de outubro de 2009

(10) O despertar (parte VIII)

sábado, 24 de outubro de 2009
Aimée não sabia o que responder. Esta era a situação mais estranha que já vivenciara. Estava ela, junto de seu próprio assassino querendo sentir raiva, mas quando, na verdade, seu coração estava cheio de compaixão por aquilo que ele passara.

Percebendo quão inútil era a sua tentativa de odiá-lo, a jovem limitou-se a observá-lo. Ainda não havia disposto de tempo para senti-lo com clareza. Surpreendeu-se ao constatar que ele tinha a aparência muito mais jovem do que sua mente indicava. Constatou que Chantal, ao menos em aparência, não tinha mais que 30 anos. Fitando calmamente sua face, enquanto o homem falava diversas coisas que ela já não ouvia, sentiu-se tocada pela fina luz que conseguia ver através daqueles belos olhos negros. Aquilo parecia uma confirmação de que o homem não era o monstro que parecia no inicio e, ao invés de detestá-lo, Aimée começa a sentir uma leve atração, como a do dia da mordida.

- Aimée você está bem? – pergunta ele percebendo o ar distante da moça. – Lhe fiz uma pergunta... Há algo errado?

- Ham... Não... Acabei me distraindo, o que você perguntou? – Gagueja a jovem, numa tentativa inútil de conter sua vergonha.

- Perguntei se está com fome. Você está aqui há quatro noites, creio que deva estar faminta.

- Nossa, na verdade estou. Estava tão entretida com as coisas que me disse e com meu próprio pensamento que acabei me esquecendo disso.

- Bom, então hoje terá sua primeira aula. Há uma porção de coisas que deve saber antes de sairmos em busca de sua refeição.

- Como assim? – Surpreende-se a jovem.

- Teremos que caçar Aimée. Você acha que agora se alimenta de quê?

- Ah, não! De forma alguma. Não vou beber sangue de ninguém. Jamais conseguiria tocar em uma pessoa.

- Aimée, você precisa. Sei que não será fácil, mas é o único alimento que nos nutre de verdade.
- Eu não posso matar alguém Chantal. Como pode me pedir isso?

Uma fina e cristalina lágrima escorreu sobre a face da jovem expressando o terror que sentira diante do que temia ser inevitável. Chantal, notando seu desespero, a abraça ternamente tentando sufocar a dor que pairava no ar. Como uma criança assustada que corre e se esconde entre os braços do pai, Aimée se escondia em Chantal, transformando aquele momento em algo indescritível.

(continua...)

13 comentários:

Byers disse...

Fazendo um teste.

Sou meio Tomé.

teste teste teste.

Byers disse...

Hey, estou de volta flor.

Não fique com vergonha! Não tem do que sentir vergonha, eu adorei o seu portifólio, sabe executar muito bem aquilo que se propoe a fazer.

O meu trabalho, fora da minha vidinha de art finalista é mais "arte" como o povo gosta de nomenclaturar, mas eu defino como traçoes perdidos, estou procurando ai algo novo, autentico meu, é uma luta diária contra a feiura que eu mesmo produzo em meus rascunhos...rs

A Sunshine é apenas uma revista eletronica, por hora, estou maturando o projeto, ano que vem se tudo ocorrer bem,ela ganha uma versão física.

Ela é uma idéia simples, eu pego os poemas de autores novos e ilustro seus textos, pretendo assim divulgar ambos o trabalhosm os meus e os deles.A Sun sai a cada troca de estação de ano para abordar esteticas relacionadas ao amor e à época do ano.

Meus vetores faço no Illustrator e no Photoshop, eu trabalho com Corel somente na gráfica.

=D obrigado ai pelos elogios! é melhor ainda quando a outra pessoa tb tem os seus.

:)

Astréia disse...

Desculpa , mas não deu para ler o texto pois minha vista cansa com essas cor de fundo preta e a fonte branca da letra...No mais o template é lindo e sua história deve ser interessante...vi que tem compaixão.

Tchau!

visitemongohelson.wordpress.com disse...

Parece um bom livro. Sou mais acostumado com comédias de adolescentes com problemas. Me diverte!

Parabéns pelo blog!

Blogueira disse...

Sentimentos são complicado mesmo raiva e compaixão, distintos.
Gostei do blog!Minha primeira vez aqui e espero voltar.

Marcelo Leite disse...

Hum. Belo trabalho querida!
Suas palavras inspiram qualquer leitor! Concerteza!
Sucesso ok? E visite-me!
www.obigboss.com

Jeniffer Yara disse...

Primeira vez aqui...Amei! O texto é muito bom..lindo o final desse!*.*

Bjs!

ED CAVALCANTE disse...

Olha,uma dica. Vc deve colocar em cada postagem os links das partes anteriores. Fiquei boiando e não me atrevi a comentar. A história só faz sentido se vc tiver conhecimento do todo. Uma bela idéia essa!

Abraço!

Cleiton Alves disse...

Já pensou em publicar o seu livro e vende-losob demanda??????????????????????Há um site na rede que te permite fazer isso.....eu compraria o meu,a estória está perfeita,cada vez mais intrigante ,tem tudo para ser sucesso.Tente isso no site clubedeautores.com.br,é ótimo se vc fizer eu compro!!!!!
Parabéns,linda tá cada vez melhor!!!!
E obrigado pela visita.

http://pontofinaloblog.blogspot.com/

jpfox8 disse...

Para quem pegou a parte VIII do texto e gostou, deduzo que as outras estão também muito boas. Parabéns!!!
Inté...

Mendy disse...

Mônica, que máximo sua história. Vou ler com calma os outros capitulos. parabéns

Deni Maciel disse...

só digo uma coisa.
tem talento.
e não é qualquer blog q passo q leio e leio e leio que entendo tão bm a história [mesmo pegando no meio do caminho]
mas enfim . . .
sucesso
esepro vir mais vezes e tbm ler do começo *-*
abraço e bom fds

::mônica:: disse...

- ED CAVALCANTE: Não coloco os links em cada post pq eles já são numerados para isto. Se procurar o arquivo verá que nao há como se perder no blog! =)

- Cleiton Alves: Venho pensando nisso... várias pessoas tem me feito a mesma pergunta. Vou dar uma olhada no site sim... mas posso assegurar os fãs da estória que, mesmo publicando o livro, ela ainda será contada aqui tdos os dias!

Aos demais, obrigada pela visita e elogios! Fico mtuito feliz ao ver que cada vez mais pessoas acessam e gostam do blog =D

um super bjo a todos!

Postar um comentário

Obrigada por deixar seu comentário!
Prometo que assim que tiver um tempinho responderei =D

 
Le Pivione - O blog livro © 2008. Design by Pocket
Creative Commons License
Le Pivione by Mônica M. do Amarante is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License
BlogBlogs.Com.Br